terça-feira, 4 de junho de 2013

JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO PARÁ.




OU PORQUE AS INSTITUIÇÕES NESTE ESTADO NÃO FUNCIONAM


Como quase tudo neste estado, esta quase parando...

       
Levar  60 dias para registrar uma empresa. Por incrível que pareça, morar em Parauapebas, a cidade mais rica e a mais promissora do interior do Pará é um pesadelo para cerca de 200 mil pessoas. Falta tudo. Até na abertura de empresas, é um deus nos acuda. Apenas nosso escritório conta atualmente com 4 processo encalhados há mais de 30 dias. Quando cobramos, somos tratados com o costumas  mal humor dos paraenses, com grosseria por atendentes despreparadas que até nos estimulam a  reclamar, para ver se o Estado contrata mais analistas de processo. Para atender a demanda de um pólo vigoroso como Parauapebas, a JUCEPA conta com apenas uma analista. Sim senhores, o estado em que sua junta comercial gaba-se de ser certificada ISO, não tem analistas para atender a uma demanda facilmente quantificavel como Parauapebas. Ficamos pensando, recorrer a quem? Aqui no Pará não temos a quem recorrer, seja na demora e analise parcial da JUCEPA, seja as faltas constantes de eletricidade, seja no fechamento cotidiano das casas  lotéricas – ficam até 10 dias sem funcionar – sistema fora do ar. Alias, isto de sistema fora do ar, mais parece desculpa para o mal atendimento.  Não há bancos na cidade. Nos poucos que tem, as filas dobram quarteirões inteiros. São estruturas bancarias deficientes e aqui, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itau, são imagens desfocadas das caras e custosas propagandas televisivas. Com atendentes e gerentes mal educados e despreparados, mais assemelham a mercados sujos e irresponsáveis. Não há internet confiável. Até a OI falha. Promete entregar o VELOX e não atende, não entrega o que anuncia.
    
Temos empresa que estamos tentando abrir há 60 dias. Os clientes ficam furiosos, o comércio perde, perde a indústria, os bancos. A sociedade é perdedora neste processo. Cadê o governo do estado? Totalmente ausente de Parauapebas que, mesmo após ser considerado o município de interior mais propicio a grandes investimentos, mesmo sendo o maior exportador brasileiro, mesmo tendo uma dinâmica e rica vida econômica, não conta com uma Junta Comercial decente, uma unidade da Policia Federal, uma repartição da Fazenda Federal ou Estadual. Prato cheio para os escambos, os desmandos políticos. O isolamento da nossa cidade é um perde-perde para todos. Imagino uma alteração contratual  da mineradora VALE, ou a abertura de uma filial de uma grande empreiteira demorar 60 dias para sair. É vergonhoso. Mas não adianta, apesar de todos os entraves, vamos continuar trabalhando.
  
A última desgraça é os Correios. Até este símbolo nacional é manchado pela incompetência e irresponsabilidade local: não entregam cartas, devolvem correspondência mentindo que as pessoas trocaram de endereço. Ou entregam correspondência dos outros para a gente. E com carteiros destreinados, ignorantes e irresponsáveis não adianta falar ou argumentar. São pessoas acomodadas e não sabemos onde estão os responsáveis, os diretores ou outros. Pena, tanta riqueza e o inferno.